cowboy

Pedreiro é morto a facadas e com golpes de pá na cabeça

1.381

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

O pedreiro José Geraldo Alves da Cruz, 55 anos, foi assassinado na noite de domingo (23), no distrito de Vicentinópolis, em Santo Antônio do Aracanguá. O corpo foi encontrado caído na rua da casa dele, com ferimentos na cabeça e várias perfurações a faca.

Ao lado, havia uma pá suja de sangue, uma faca e um facão, que foram apreendidos. A polícia tem suspeita de autoria, porém, ninguém tinha sido preso até o início desta manhã de segunda-feira (24).

Equipe da Polícia Militar foi informada por volta das 19h30 sobre a existência de um corpo na rua Ângelo Mazoti, a mesma onde fica a casa da vítima, e encontrou o cadáver caído próximo à guia de sarjeta. No local não havia testemunhas e a Polícia Civil foi acionada para solicitar a realização de perícia.

O delegado plantonista e um investigador foram ao local e constataram que o corpo estava caído em frente a um terreno baldio, com várias lesões na cabeça.

A carteira com documentos de Cruz estava caída de um lado do cadáver e do outro lado estava a pá suja de sangue, a faca e o facão. Os policiais notaram ainda, marcas de pneu deixadas por algum veículo que teria freado ou saído de forma acelerada do local.

O pedreiro morava a poucos metros de onde foi morto e os policiais conseguiram contato com a companheira dele. Ela reconheceu um boné apreendido no local como sendo dele, mas afirmou que as ferramentas abandonadas não lhe pertenciam.

BRIGA
De acordo com a mulher, Cruz saiu de casa ainda pela manhã com um veículo Chevrolet Monza e passou praticamente o dia todo ingerindo bebida alcoólica em bares do distrito.

Policiais militares que atenderam a ocorrência realizaram patrulhamento e foram informados que a vítima se desentendeu com outro homem em um desses bares. Minutos antes de ser encontrada morta, ela e o suspeito deixaram o estabelecimento praticamente juntos.

Ainda segundo o que foi apurado pela polícia, o bar onde teria ocorrido o desentendimento fica a cerca de 300 metros de onde o cadáver foi localizado. O carro do pedreiro não foi encontrado pela polícia, que também não localizou o suspeito de ter cometido o homicídio.

O corpo foi liberado logo pós ser concluída a perícia pelo IC (Instituto de Criminalística) e encaminhado por uma empresa funerária da cidade para o IML (Instituto Médico Legal) de Araçatuba para exame necroscópico.

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

Comentários
carregando...
WhatsApp Logo Fale conosco via WhatsApp
ga('require', 'GTM-5C3R9D4');