Banner fixo Prefeitura

Juiz de Andradina alerta para novo tipo de golpe na região da falsa fiança da audiência de custódia

482

O diretor do Fórum de Andradina, Jamil Nakad Júnior, emitiu comunicado alertando a população, principalmente parentes de presos, sobre um novo tipo de golpe na região: o da falsa fiança ou da audiência de custódia. Pelo menos uma pessoa pagou a suposta fiança e depois ficou sabendo tratar-se de golpe.

De acordo com informações apuradas pela reportagem do jornal O LIBERAL REGIONAL, os estelionatários descobrem os telefones dos cônjuges ou parentes das pessoas que encontram-se presas e se identificam como promotores de justiça, juízes, delegados de polícia, defensores públicos ou até mesmo advogados.

Durante as conversas, os criminosos cobram um valor aproximado de R$ 1.200,00, a ser depositado em contas repassadas por eles para que os presos sejam soltos. Caso, as vítimas recusem o depósito, os golpistas dizem que irão aumentar a pena do detento. Sem saída, os familiares sofrem grande pressão psicológica e acabam depositando os valores pedidos sem desconfiarem de nada.

Segundo a diretoria do Fórum de Andradina, todos os casos que são de conhecimento estão sendo investigados a fim de que os autores sejam identificados e punidos.

“Sob nenhuma hipótese, fianças criminais ou quaisquer custas judiciais são recolhidas mediante depósito ou transferência de valores para conta bancária particular, mas, única e exclusivamente, mediante guia de recolhimento com código de barras, que pode ser obtida no site do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, na internet”, informou o comunicado assinado pelo juiz de direito Jamil Nakad Júnior, diretor do Fórum do município.

ENTREVISTA

No início da noite de ontem o doutor Jamil Nakad Júnior concedeu entrevista aos veículos do SRC (FM Cidade, Rádio Andradiona FM, SRCTV e O LIBERAL REGIONAL). Na entrevista, o magistrado informou que o golpe é conhecido desde 2016 e que houve registro no Ceará e estados do norte. Somente agora foi registrado na região.

O juiz relatou que uma pessoa com parente presoi foi procurada por telefone e informada para fazer o depósito de R$ 1,2 mil de fiança. Realmente havia uma pessoa na carceragem. Passadas duas horas, a vítima procurou a Justiça dizendo que já havia pago e que esperava a libertação do preso. Porém, neste caso, não foi arbitrada fiança. Descobriu-se tratar-se de golpe.

fonte: LR1

você pode gostar também
Comentários
Loading...
Envie sua Pauta ou sugestão
%d blogueiros gostam disto: