Mãe é detida após acorrentar filha e postar ‘desabafo’ nas redes sociais

921
plis

Uma mulher foi autuada por violência doméstica e lesão corporal após acorrentar a filha, de 20 anos, em um banco de madeira, raspar o cabelo da jovem e publicar fotos nas redes sociais, em Castilho (SP), na noite de terça-feira (24).

Segundo o delegado responsável pelo caso, Carlos Sérgio Franco Falsiroli, a mãe de 44 anos afirmou à polícia que resolveu acorrentar a menina para evitar que a jovem saísse de casa para comprar e usar crack.

“Ela alegou que estava desesperada e não sabia mais o que fazer com a filha. Então, a mãe acorrentou a menina e raspou o cabelo dela, acreditando que ela sentiria vergonha e não sairia para comprar droga”, afirma o delegado.

Na publicação feita pela mãe em uma rede social é possível ver duas fotos da jovem com o cabelo raspado e sentada em um banco de madeira. Em um dos pés da menina, há um cadeado e uma corrente.

“Hoje eu comecei. Esta vagabunda sai de casa para as biqueiras. Estou doente, ela passa a noite na rua e o filho dela fica comigo chorando. Hoje eu fiz isso com ela!! Estou ultrapassando meu limite. Quero ver algum me apontar. Eu que criei, eu que faço. Chega pra mim já Deus”, escreveu a mãe no mesmo post.

Ao receber a denúncia da coordenadora do Centro de Referência Especializado da Assistência Social (Creas), que viu a postagem feita nas redes sociais, a Polícia Militar foi até a casa da família e realizou a prisão em flagrante da mulher.

“Eu fui até a casa da família. A jovem realmente estava acorrentada em um banco de madeira. Ela somente pediu para sair o mais rápido possível do imóvel da mãe. Pelo o que sei, ela e o filho estão na casa da irmã mais velha dela”, afirma Andrea Lopes de Sousa.

A mãe foi levada à delegacia da Polícia Civil, onde prestou depoimento ao delegado responsável pelo caso. A menina passou por um exame de corpo de delito e as agressões foram comprovadas.

Ainda segundo o delegado, Carlos Sérgio Franco Falsiroli, essa não foi a primeira vez que a jovem foi agredida pela mãe, que ganhou liberdade após passar por audiência de custódia realizada na manhã desta quarta-feira (25) no Fórum de Andradina (SP).

“Eu acabei optando pela prisão em flagrante da mulher por violência doméstica e lesão corporal. Ela se excedeu na correção aplicada contra filha. Não precisa disso”, alega o delegado que

Em entrevista ao G1, a coordenadora do Creas também afirmou que a jovem solicitou uma medida protetiva contra a mãe e que a família passará por acompanhamento profissional oferecido pelo próprio município.

“Nós vamos continuar acompanhando o dia a dia dessa família e realizando nosso trabalho de assistência social”, diz Andrea.


você pode gostar também
Comentários
Loading...
Envie sua Pauta ou sugestão