Banner fixo Prefeitura

PACIENTE RECEBE VISITA DE PASSARINHO NA SANTA CASA

569
Decar

Estar doente não é uma situação fácil. Pior ainda é quando temos que ficar em um quarto de Hospital, isolados e longe do convívio dos seres importantes da nossa vida. Quem tem animal de estimação e passa por uma internação tem que lidar, ainda, com o desafio de contornar a saudade dos bichinhos, enquanto os pets em casa tentam fazer o mesmo com a falta de seu dono. Ou seja, uma tarefa nada agradável.

O aposentado Edio Especiato Ferreira, de 58 anos, sabia muito bem a dor da saudade. Ele estava na Santa Casa de Votuporanga desde quarta-feira (18/9), quando quebrou o braço. “Estava em casa e cai da cama. Vim para o Hospital e deixei minha calopsita. Sinto muito a falta dela”, contou.

Ao falar de seu bichinho, Edio é só amor. “É minha grande companheira. Anda na rua comigo, dorme junto. É da família há quatro anos”, disse.

Pensando em acabar com essa saudade e auxiliar na recuperação do aposentado, uma visita especial foi realizada. Afinal, quem não gosta de estar com quem nos faz bem?! A filha de Edio, Ana Beatriz da Silva Ferreira, trouxe o pássaro para a área externa do Hospital, após autorização da equipe médica.

No reencontro, o amor e a felicidade. A calopsita saiu da gaiola, diretamente para os braços do aposentado. Foram beijos, carinhos e muita alegria. “Estou muito feliz por encontra-la e quero logo voltar para casa”, afirmou.

Engana-se quem pensa que é somente o paciente que sente falta. “O passarinho mudou. Não come, fica mais perto da gente e até desmaiou de saudade estes dias”, contou Ana Beatriz. Ao ver o aposentado, a calopsita gritou sem parar.

A visita foi acompanhada pela coordenadora de Serviço Social, Ticiane Carla Luiz Camilo. Ela enfatizou que a companhia de pets ao paciente traz alguns benefícios como sensação de melhora e bem-estar, sociabilidade e diminuição da ansiedade. “Além de dar uma mãozinha para o processo de recuperação, ajuda a encurtar a duração da internação e, em alguns casos, pode até promover a cura de algumas doenças. Por serem parte da estrutura familiar como qualquer outro membro, os animais de estimação conseguem reconfortar os assistidos e trazer um pouco da normalidade de suas vidas para dentro do ambiente hospitalar”, destacou.

E os benefícios não param por aí. “O poder dos pets ainda vai além e pode se tornar um fator motivador da própria família. Os membros do grupo familiar se fortalecem com a sensação de que estão fazendo algo realmente benéfico para seu ente hospitalizado, tendo amenizado os sentimentos relacionados à impotência frente à situação. Foi emocionante ver este reencontro lindo!”, concluiu. Após essas cenas, a recuperação de seu Edio foi mais rápida e ele recebeu alta nesta terça-feira (24/9).

você pode gostar também
Comentários
Loading...
Envie sua Pauta ou sugestão
%d blogueiros gostam disto: