cowboy

Polícia investiga quadrilha por golpes de venda de caminhão

514

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

A Polícia Civil de Rio Preto investiga uma quadrilha de seis estelionatários que aplicam golpes envolvendo caminhões anunciados à venda pela internet.

De acordo com informações, os golpistas utilizam o site de uma empresa de compra e venda de mercado, e anunciam veículos inexistentes, exigindo um valor de entrada do possível comprador.

A quadrilha é formada por um casal de São Paulo, casal de Mirassol e dois ‘laranjas’ de Rio Preto, e aplicou o golpe em 15 vítimas de várias localidades do país (Minas Gerais, Maranhão, Mato Grosso, Santa Catarina, São Paulo, Goiás e Mato Grosso do Sul. Com a fraude, o grupo levantou uma quantia de R$ 300 mil.

O delegado do 1º Distrito Policial, José Luiz Barboza Júnior, conduz a investigação do golpe da internet. O caso foi conduzido em sigilo por cerca de três meses pelo Núcleo de Investigações do 1º, 2º e 5º Distrito Policial de Rio Preto. A quadrilha será indiciada pelos crimes de estelionato, falsidade ideológica e associação criminosa.

Entenda o caso
Todas 15 vítimas foram atraídas pelo anúncio do caminhão e preços atrativos de entrada e parcela do veículo. As pessoas entravam em contato com os estelionatários pelo telefone destinado no anúncio. Uma mulher, de 52 anos, apontada pela investigação como “chefe da quadrilha”, passava por “advogada” do Banco Safra e Itaú, e utilizava registros de advogados. Durante a ligação telefônica, o namorado (cúmplice no esquema), 26, passava a chamada para a falsa advogada. Ela explicava que o caminhão estava no pátio por motivos de busca e apreensão, diante de falta de pagamentos. Se a pessoa se interessar, teria que depositar uma entrada no valor aproximado de R$ 15 mil.

No momento do depósito, a vítima receberia o número da conta do suposto dono do caminhão para fazer a quitação da dívida e a pessoa assumir as parcelas pendentes. Na investigação dos policias, as 15 vítimas depositaram quantias em uma conta bancária de Rio Preto. Um casal de Mirassol era responsável por procurar ‘laranjas’ e praticar o golpe.

“Laranjas do município”
A Polícia Civil conseguiu chegar nos envolvidos através de um boletim de ocorrência de uma vítima de Chapadão do Céu (GO), que tinha depositado o valor de entrada em uma conta em Rio Preto. O núcleo de investigação descobriu os envolvidos através de imagens cedidas pelos bancos (Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal). A ‘laranja’, uma senhora de 53 anos, de Rio Preto, foi convencida pelo casal de Mirassol a ceder número da conta para receber uma quantia em dinheiro, sem dar detalhes.

A senhora era madrinha da filha do casal de Mirassol. A senhora emprestou dois cartões, e em um ano, a quadrilha arrecadou R$ 285 mil. A filha dessa senhora, também participou do esquema e recebeu em uma conta a quantia de R$ 15 mil. Mãe e filha recebiam uma compensação financeira no valor de R$ 100 em cada operação.

Em uma conta do Facebook, a Polícia Civil localizou a chefe da quadrilha em diversos momentos de diversão graças ao golpe, locais como praias, hotéis, viagens, compras, bares, entre outros.

Vítimas do golpe do anúncio na internet

Chapadão do Céu (GO) – R$ 16,2 mil
Zé Doca (MA) – R$ 8 mil
Juará (MT) – R$ 17,8 mil
Lavras (MG) – R$ 12 mil
Vitória (ES) – advogada teve nome usada registrou boletim de falsidade ideológica
Três Lagoas (MS) – R$19,5 mil
Pontal do Paraná (PA) – R$ 10 mil
Lajes (SC) – R$ 15,2 mil
Ivinhema (MS) – R$ 7,5 mil
Ribeirão Preto (SP) – R$ 7 mil
Cajamar (SP) – R$ 15,5 mil
Serrania (MG) – R$ 15,8 mil
Caiapônia (GO) – não tem o valor
Divinópolis (MG) – passa de R$ 15 mil

DHOJE INTERIOR

Get real time updates directly on you device, subscribe now.

você pode gostar também
Comentários
carregando...
WhatsApp Logo Fale conosco via WhatsApp
ga('require', 'GTM-5C3R9D4');